O POVO MACUA - DADOS HISTÓRICOS

Continua a ler

ATIVIDADES ECONÓMICAS

Continua a ler

SOCIEDADE E INDIVÍDUO

Continua a ler

ESTRUTURA SOCIAL

Continua a ler

A VIDA E A VISÃO DE MUNDO

Continua a ler

RITOS DE PASSAGEM – O NASCIMENTO

Continua a ler

RITOS DE PASSAGEM - OS RITOS DE INICIAÇÃO DOS JOVENS

Continua a ler

RITOS DE PASSAGEM - OS RITOS DE INICIAÇÃO DAS JOVENS

Continua a ler

OS RITOS DE PASSAGEM – Casamento, Relações sexuais, Divórcio

Continua a ler

A DOENÇA E OS RITOS DE CURA

Continua a ler

Macua – Sociedade e indivíduo

por Timi GASPARI, antropóloga

Primeiro de tudo lembre-se que entre os Macuas existe uma concepção de pessoa muito diferente daquela individualista do ocidente.  O indivíduo Macua não pode ser concebido por si só, isolado da sociedade. Ser significa “estar em relação com os outros.”

Isso não significa que o indivíduo se encontra completamente anulado e absorvido pela comunidade, muito pelo contrário.

Certamente os laços sociais e familiares são muito mais estreitos e mais forte de como ocorre no Ocidente. Por reação, os indivíduos   muitas vezes procuram estratagemas para conseguir escapar de essas restrições; devemos sempre lembrar que em uma sociedade existem regras sim, mas também práticas concretas, com as quais muitas vezes se tenta driblar, adaptar ou escapar das regras mais rígidas e restrições oficiais. Muitas histórias, de muitos moçambicanos, baseiam-se próprio nas aventuras e desventuras daqueles que tentam ser espertos, malandros, ou que tentam escapar do cumprimento destes requisitos, tentando encontrar atalhos para fazer as coisas só para seu próprio benefício, sem considerar os outros membros da família ou comunidade.

macua bimbi

Esta definição, comum a todo o Moçambicano, tem consequências fortes. É basicamente uma estratégia de sobrevivência necessária para aqueles que vivem na pobreza, visto que em tempos de dificuldades toda a família, mesmo primos de sexto grau, procuram ajudar, que se apresenta também como um limite que impede a saída da pobreza. Na verdade, aqueles que em algum momento conseguem, de alguma forma, ter ligeiramente melhores condições económicas são sempre aqueles que mais devem contribuir em caso de problemas com os membros da família, encontrando-se no dever de ter que redistribuir o pouco extra que laboriosamente obtivera. Eu li pelo menos dois estudos sociológicos realizados no centro de Moçambique mostrando que aqueles que tinham uma situação económica melhor do que a maioria, eram aqueles que tinham praticamente cortado relações com suas famílias. A Pobreza (ou seja, este princípio social que permite a sobrevivência em um estado de pobreza) reproduz a pobreza.

Este princípio tem grandes consequências nas ações que se pretende operar dentro da comunidade.

Um projeto, que queira beneficiar um específico público alvo de indivíduos na comunidade, demasiadas vezes falha porque excluiu os outros pois não é bem-visto o fato que somente alguns recebam e outros não. Os próprios beneficiários muitas vezes auto sabotam o projeto, a fim de evitar problemas, inveja e conflitos com outros membros da comunidade.

É, portanto, sempre prioritário consultar antecipadamente as comunidades para decidir quem e como se beneficiarão de uma determinada iniciativa.

MACUA – Estrutura social

(CONTINUA…)

contesto